"SEJA BEM VINDO!"

"FELIZ AQUELE QUE TRANSFERE O QUE SABE E APRENDE O QUE ENSINA." Cora Coralina

Quem sou eu

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
Aprendi que tudo na vida se aprende tentando e errando, tentando e acertando.Sou uma pessoa otimista, positiva e feliz! Amo minha vida, "meu" vida e minha Jady!

Digital clock

Seguidores

Fofos demais

visitas ao blog

Tecnologia do Blogger.
terça-feira, 8 de maio de 2012


Nem sabia que existia, mas dia 06/05 foi o Dia da Matemática! Em homenagem a este dia posto minha pesquisa sobre dificuldades de aprendizagem, agora sobre a discalculia.


A discalculia se apresenta como dificuldade para a realização de operações matemáticas usualmente ligadas a uma disfunção neurológica, lesão cerebral, deficiência de estruturação espaço-temporal.
O problema principal está em compreender que a dificuldade não é a matemática e sim a maneira que é ensinada às criançasA criança com discalculia pode ser capaz de entender conceitos matemáticos de um modo bem concreto, uma vez que o pensamento lógico está intacto, porém tem extrema dificuldade em trabalhar com números e símbolos matemáticos, fórmulas, e enunciados.

Ela é capaz de compreender a matemática representada simbolicamente ( 3+2=5 ),
Mas é incapaz de resolver “Maria tem três balas e João tem duas. Quantas balas eles tem no total?”

 A discalculia ocorre em adultos e crianças de qualquer nível de QI, mas significa que têm freqüentemente problemas específicos com matemática, tempo, medida, etc. Discalculia (em sua definição mais geral) não é rara. Muitas crianças com dislexia ou dispraxia tem discalculia também. Há, ainda, alguma evidência para sugerir que este tipo de distúrbio é parcialmente hereditário.

O portador de discalculia comete erros diversos na solução de problemas verbais, nas habilidades de contagem, nas habilidades computacionais, na compreensão dos números.
Kocs (apud García, 1998) classificou a discalculia em seis subtipos, podendo ocorrer em combinações diferentes e com outros transtornos:

1. Discalculia Verbal - dificuldade para nomear as quantidades matemáticas, os números, os termos, os símbolos e as relações.
2. Discalculia Practognóstica - dificuldade para enumerar, comparar e manipular objetos reais ou em imagens matematicamente.
3. Discalculia Léxica - Dificuldades na leitura de símbolos matemáticos.
4. Discalculia Gráfica - Dificuldades na escrita de símbolos matemáticos.
5. Discalculia Ideognóstica – Dificuldades em fazer operações mentais e na compreensão de conceitos matemáticos.
6. Discalculia Operacional - Dificuldades na execução de operações e cálculos numéricos.

Ajuda do Professor

O aluno deve ter um atendimento individualizado por parte do professor que deve evitar:
·  Ressaltar as dificuldades do aluno, diferenciando-o dos demais;
· Mostrar impaciência com a dificuldade expressada pela criança ou interrompê-la várias vezes ou mesmo tentar adivinhar o que ela quer dizer completando sua fala;
·  Corrigir o aluno freqüentemente diante da turma, para não o expor;
·  Ignorar a criança em sua dificuldade.
Dicas para o professor:
 Não force o aluno a fazer as lições quando estiver nervoso por não ter conseguido;
 Explique a ele suas dificuldades e diga que está ali para ajudá-lo sempre que precisar;
 Proponha jogos na sala;
 Não corrija as lições com canetas vermelhas ou lápis;
 Procure usar situações concretas, nos problemas.

É muito importante buscar auxilio para descobrir a discalculia ou não no período escolar quando alguns sinais são apresentados, para que os alunos discalcúlicos não sejam chamados de desatentos e preguiçosos quando possuem, na verdade, problemas quanto à assimilação e compreensão do que é pedido.



Referencial Bibliográfico: http://www.psicopedagogiabrasil.com.br/disturbios.htm/ www.portaleducacao.com.br


1 comentários:

Caldeirão das Artes by Mallú Marianno disse...

SEGUINDO SEU BLOG, FLOR...MUITAS MATÉRIAS INTERESSANTES, PARABÉNS ESTÁ SUPER FOFO!!!!
TE AGUARDO LÁ NO MEU CANTINHO, caldeirãodasartesmallu@blogspot.com.br
SERÁ MUITO BEM VINDA!!!!
BEIJOS NA ALMA!!!